NOTÍCIAS

INSUFICIENTES, AÇÕES DA PREFEITURA NÃO COMBATEM INFESTAÇÃO DE PERNILONGOS QUE ASSOLA JARDINS

Talvez seja difícil para a Prefeitura de São Paulo enxergar uma das maiores infestações de pernilongos já vistas na região do rio Pinheiros. Mas para os moradores dos Jardins, essa é uma situação que há tempos está insustentável.

São verdadeiras nuvens de mosquitos que atormentam a vida dos moradores dos bairros dos Jardins Paulista, Paulista, América e Europa. Uma infestação, muito maior do que as de outros anos, reflexo do descaso com a saúde pública e o bem estar da população que afeta com maior intensidade crianças e idosos.

As recentes ações da prefeitura, que podem ter sido suficientes para passar uma resposta à opinião pública, não resolveram o problema.

Entre agosto e setembro passou pela região o “fumacê” – veículo que pulveriza inseticida, ação que também foi feita em trechos do rio Pinheiros. Mas tudo tem se mostrado insuficiente.

As altas temperaturas registradas nas últimas semanas têm aumentado a proliferação dos insetos e elevado a preocupação dos moradores. A tendência, com a chegada do verão, será de dias mais quentes e úmidos, que acelera o ciclo reprodutivo dos insetos. O caos que já passamos durante o inverno poderá se intensificar ainda mais.

Nada disso é novidade. Empenhada em resolver essa situação, a AME Jardins busca incessantemente as autoridades. Protocolamos ofícios com pedidos de providências para diversos órgãos, como Subprefeitura de Pinheiros, Secretaria Municipal de Saúde, Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de SP e Empresa Metropolitana de Águas e Energia.

Os moradores também têm se mobilizado contra esse grave problema, realizando manifestações pacíficas que buscam chamar a atenção para a infestação.

Infelizmente nossos apelos não se traduzem em ações efetivas do Poder Público.

Entendemos que essa infestação sem precedentes deve ser encarada como prioridade pela prefeitura, devido aos riscos que pode gerar num momento em que a pandemia do novo coronavírus ainda está vitimando pessoas em nossa cidade. Afinal de contas, a Covid19 se agrava nas pessoas que apresentam comorbidades – no caso, dengue, zika e chikungunya, doenças que podem ser transmitidas pelos pernilongos.

É preciso uma verdadeira operação de guerra contra essa infestação. Mas também é preciso resolver o problema pela sua raíz. Por mais quanto tempo a população de São Paulo terá que conviver sem uma manutenção adequada nas margens do rio Pinheiros? Quanto ainda teremos de esperar por um manejo ambiental decente no rio e seus afluentes?

Os moradores e trabalhadores da região dos Jardins exigem medidas mais enérgicas e uma solução definitiva para a infestação de pernilongos. Com saúde não se brinca.

*Daniela Cerri Seibel é presidente da AME JARDINS. Associação que atende os bairros dos Jardins América, Europa, Paulista e Paulistano.